Recent Posts

Archive

Tags

O que é o Diabetes?


Na nova série do Blog Dos Doutores, o Dr. Flavio Messina explica em detalhes, sintomas e doenças que afetam a nossa sociedade. Acompanhe abaixo, tudo que você precisa saber sobre Diabetes!

Definição

O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. O diabetes acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir o hormônio insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não é capaz de agir de maneira adequada (resistência à insulina).

Tipos

Diabetes tipo I: No diabetes tipo I, o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico, fazendo com que nossos anticorpos ataquem as células que produzem a esse hormônio. O diabetes tipo I ocorre em cerca de 5 a 10% dos pacientes com diabetes.

Pré-diabetes: A pré-diabetes é um termo usado para indicar que o paciente tem potencial para desenvolver a doença, como se fosse um estado intermediário entre o saudável e o diabetes tipo II - pois no caso do tipo I não existe pré-diabetes, a pessoa nasce com uma predisposição genética ao problema e a impossibilidade de produzir insulina, podendo desenvolver o diabetes em qualquer idade.

Diabetes tipo II: No diabetes tipo II existe uma combinação de dois fatores - a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação, conhecido como resistência à insulina. Geralmente, o diabetes tipo II pode ser tratado com medicamentos orais ou injetáveis, contudo, com o passar do tempo, pode ocorrer o agravamento da doença. O diabetes tipo II ocorre em cerca de 90% dos pacientes com diabetes.

Diabetes Gestacional: É o aumento da resistência à ação da insulina na gestação, levando ao aumento nos níveis de glicose no sangue diagnosticado pela primeira vez na gestação, podendo - ou não - persistir após o parto. A causa exata do diabetes gestacional ainda não é conhecida, mas envolve mecanismos relacionados à resistência à insulina.

Outros tipos de diabetes

Esses tipos de diabetes são decorrentes de defeitos genéticos associados a outras doenças ou ao uso de medicamentos. Podem ser:

  • Diabetes por defeitos genéticos da função da célula beta

  • Por defeitos genéticos na ação da insulina

  • Diabetes por doenças do pâncreas exócrino (pancreatite, neoplasia, hemocromatose, fibrose cística etc.)

  • Diabetes por defeitos induzidos por drogas ou produtos químicos (diuréticos, corticoides, betabloqueadores, contraceptivos etc.).

Sintomas de Diabetes

Os principais sintomas do diabetes são vontade frequente de urinar, fome e sede excessiva (PPP) e emagrecimento. Esses sintomas acontecem em decorrência da produção insuficiente de insulina ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente sua ação, causando assim um aumento da glicose no sangue. Confira a seguir os sintomas característicos de cada tipo de diabetes.

Diagnóstico de Diabetes

O diagnóstico de diabetes normalmente é feito usando três exames:

  • Glicemia de jejum;

  • Hemoglobina glicada;

  • Curva glicêmica.

Tratamento de Diabetes

O tratamento de diabetes tem como objetivo controlar a glicose presente no sangue do paciente evitando que apresenta picos ou quedas ao longo do dia. Veja a seguir o tipo de tratamento para cada tipo de diabetes:

Tratamento para diabetes tipo I

O tratamento para o diabetes tipo I requer as seguintes medidas

  • Aplicação de insulina

Os pacientes com diabetes tipo I necessitam de injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores normais. Para fazer essa medida é necessário ter em casa um glicosímetro, dispositivo capaz de medir a concentração exata de glicose no sangue.

  • Uso de medicamentos específicos

Além de prescrever injeções de insulina para baixar o açúcar no sangue, alguns médicos solicitam que o paciente inclua também medicamentos via oral em seu tratamento.

Tratamento para o diabetes tipo II

O tratamento do Diabete tipo II é feito através de

medicamentos, os hipoglicemiantes orais.

Complicações possíveis

  • Retinopatia diabética:Lesões que aparecem na retina do olho, podendo causar pequenos sangramentos e, como consequência, a perda da acuidade visual.

  • Arteriosclerose:Endurecimento e espessamento da parede das artérias

  • Nefropatia diabética:Alterações nos vasos sanguíneos dos rins que fazem com que ocorra uma perda de proteína pela urina. O órgão pode reduzir a sua função lentamente, mas de forma progressiva até a sua paralisação total.

  • Neuropatia diabética:Os nervos ficam incapazes de emitir e receber as mensagens do cérebro, provocando sintomas, como formigamento, dormência ou queimação das pernas, pés e mãos, dores locais e desequilíbrio, enfraquecimento muscular, pressão baixa, distúrbios digestivos, excesso de transpiração e impotência.

  • Pé diabético:Ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés de quem tem diabetes desenvolve uma úlcera (ferida). Seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. Qualquer ferimento nos pés deve ser tratado rapidamente para evitar complicações que podem levar à amputação do membro afetado.

  • Infarto do miocárdio e AVC: Ocorrem quando os grandes vasos sanguíneos são afetados, levando à obstrução (arteriosclerose) de órgãos vitais como o coração e o cérebro. O bom controle da glicose, a atividade física e os medicamentos que possam combater a pressão alta, o aumento do colesterol e a suspensão do tabagismo são medidas imprescindíveis de segurança. A incidência desse problema é de duas a quatro vezes maior em pessoas com diabetes.

  • Infecções: O excesso de glicose pode causar danos ao sistema imunológico, aumentando o risco da pessoa com diabetes contrair algum tipo de infecção.

  • Hipertensão:Ela é uma consequência da obesidade - no caso do diabetes tipo II - e da alta concentração de glicose no sangue, que prejudica a circulação, além da arteriosclerose que também contribui para o aumento da pressão.

Convivendo/ Prognóstico

Pacientes com diabetes devem ser orientados a:

  • Realizar exame diário dos pés para evitar o aparecimento de lesões - vale à pena usar um espelho para visualizar as plantas dos pés todos os dias

  • Manter uma alimentação saudável

  • Utilizar os medicamentos prescritos

  • Praticar atividades físicas

  • Manter um bom controle da glicemia, seguindo corretamente as orientações médicas.

Prevenção

Pacientes com história familiar de diabetes devem ser orientados a:

  • Manter o peso normal;

  • Não fumar;

  • Controlar a pressão arterial;

  • Evitar medicamentos que potencialmente possam agredir o pâncreas;

  • Praticar atividade física regular.

  • Messina Clinic Youtube

© 2020 by Messina Clinic Ltd.