Colágeno é indicado a partir dos 35 anos para evitar desgaste da cartilagem


O colágeno é a proteína mais abundante do corpo humano e funciona como uma espécie de tijolo na construção de diversos tecidos: ossos, dentes, tendões, músculos e pele. O problema é que, com o passar do tempo, sua fabricação natural diminui.

Nunca deixamos de produzi-lo, mas um conjunto de fatores afeta a sintetização do colágeno a partir dos 35 anos, como dieta, estilo de vida e questões de saúde. Especialistas indicam fazer suplementação de colágeno a partir dessa idade.

Mas o assunto ainda gera dúvidas porque até pouco tempo se pensava que o colágeno que ingerimos, por ser quebrado durante o processo digestivo, não atingiria a parte mais superficial do corpo. O colágeno ingerido é então dividido em peptídeos que são absorvidos sim e tem funções muito interessantes na cicatrização da pele, no combate ao envelhecimento facial, na recuperação de cirurgias ortopédicas, para a cartilagem e muitas outras áreas.


ARTICULAÇÕES


Hoje, estudos comprovam que o colágeno consegue atuar na pele, especialmente nos tecidos que não se regeneram, como a cartilagem. Assim como a pele, a cartilagem que reveste as articulações da coluna, do joelho, dos cotovelos e tantas outras juntas, também depende muito desta proteína e sofre com a ação do tempo. Com isso, um suporte extra pode ser um aliado para atenuar os sintomas da artrose e de outros males que atacam as articulações.


PELE


As evidências também apontam que uma ajudinha extra do suplemento de colágeno devolve firmeza, hidratação e atenua rugas. Para citar um exemplo, um estudo recente comparou os efeitos de três suplementos à base de colágeno hidrolisado em 60 mulheres que tinham idades entre 46 e 69 anos. Depois de 8 semanas, os grupos que tomaram qualquer um dos três produtos apresentaram maior firmeza da pele e elasticidade do que as voluntárias que tomaram placebo.

Antes de sair as compras, entretanto, consulte o seu médico e fique atento aos rótulos, não e todo colágeno entrega resultados satisfatórios.


Fonte:VivaBem