• adrianasouzaj

Benefícios do Check-up para o desempenho esportivo


Um dos principais benefícios do Check-up Laboratorial Nutrição Esportiva é a identificação dos comportamentos que impedem o alcance de determinados objetivos físicos, como má alimentação, exposição a agente tóxicos, tabagismo, entre outros.

Isso porque para alcançar bons resultados é necessário um treinamento especializado e uma alimentação dedicada às metas estabelecidas durante o planejamento das atividades físicas.

Dessa forma, a nutrição esportiva se torna essencial. Afinal, ela se relaciona a todo e qualquer tipo de atividade física, independente da modalidade ou da intensidade com que são realizadas, e garantem um bom desempenho esportivo.

O Check-up Nutrição Esportiva realiza uma série de exames de rotina com o intuito de avaliar em qual estado se encontra a nossa saúde e garantir a possibilidade de desenvolver um treinamento personalizado.

Quando direcionado à avaliação nutricional e esportiva, o check-up laboratorial auxilia na prevenção e no autocuidado, englobando uma análise específica e a disponibilização de exames, orientações e conceitos sobre prevenção de doenças.

Além disso, o check-up ajuda na redução do uso de medicamentos voltados para o equilíbrio nutricional ou o uso incorreto de suplementos para potencializar os resultados com as atividades físicas e identificação de alguma deficiência de nutrientes no organismo.

São vários tipos de exames que podem diagnosticar diversas situações, verifique o que cada exame avalia:

  • TSH ultra sensível (avalia os níveis de produção de T3 e T4 – hormônios da tireoide);

  • TGO – transaminase glutâmico-oxalacética (avalia a presença de alguma inflamação no fígado);

  • TGP – transaminase glutâmico-pirúvica (detecta possíveis inflamações no fígado);

  • glicemia (avalia a concentração de glicose no sangue ou mais precisamente, no plasma);

  • insulina (avalia se o hormônio secretado pelo pâncreas tem realizado corretamente a metabolização da glicose);

  • colesterol total e frações (mede a quantidade de colesterol e seus subtipos no sangue);

  • cortisol (avalia os níveis de cortisol, hormônio diretamente envolvido na resposta ao estresse);

  • gama GT (quando alterados, indica se há inflamação no fígado, como hepatite);

  • hemograma (avalia a contagem dos elementos do sangue, o que ajuda a detectar doenças como anemia, alguns tipos de câncer como leucemia, infecções, inflamações, entre outros);

  • triglicerídeos (mede a quantidade de triglicerídeos – um tipo de gordura – presentes no sangue, que quando elevados aumentam os riscos de doenças cardíacas);

  • ácido úrico (registra a quantidade de ácido úrico, que em níveis elevados, acumulam nas articulações causando intensa dor e originando doenças graves, como falência renal);

  • creatinina (avalia a função dos rins);

  • uréia (analisa os níveis de uréia presentes no organismo);

  • proteínas totais e frações (mede a quantidade de proteínas totais no sangue);

  • cloreto (analisa os níveis de cloreto no sangue);

  • potássio (mede os níveis de potássio no sangue, que em grandes quantidades causam alterações no funcionamento do coração);

  • sódio (avalia os níveis de sódio no sangue, que em altas quantidades pode causar aumento da pressão e doenças cardíacas);

  • zinco (computa a quantidade de zinco no sangue, que abaixo do recomendado pode causar desnutrição, anemias e mais).

  • CPK – creatinofosfoquinase (a CPK é uma enzima intracelular, encontrada em maior proporção no músculo esquelético, músculo cardíaco e cérebro. O exame analisa se há aumento da dosagem da CPK, o que significa lesão celular);

  • hemoglobina glicada (ajuda no diagnóstico e acompanhamento do diabetes);

  • testosterona (avalia a quantidade de testosterona, hormônio fundamental para a reprodução, já que ela atua na produção de espermatozoides pelos homens);

  • estradiol (analisa os valores do hormônio estradiol no sangue, que em alta quantidade pode significar doença hepática e em baixa quantidade síndrome de Turner);

  • progesterona (mede a quantidade do hormônio progesterona no sangue, que em valores altos pode significar superprodução de hormônios e em valores reduzidos, significa precariedade do sistema imunológico).

Posts Relacionados

Ver tudo